Estudo relaciona doenças coronárias com perda de raciocínio

Capacidade cognitiva foi medida em pacientes de cerca de 61 anos, idade que exclui outros fatores de risco

Efe

22 de julho de 2008 | 20h56

As doenças coronárias estão relacionadas com a perda de raciocínio, vocabulário e fluência verbal, segundo um estudo publicado nesta terça-feira, 22, no site do European Heart Journal.   O relatório foi elaborado durante 17 anos com 5.837 ingleses. Neste período, 11% sofreram doenças coronárias, explicou à Agência Efe a doutora Archana Singh-Manoux, principal autora do trabalho científico.   A capacidade cognitiva foi medida em pacientes que tinham cerca de 61 anos, uma idade na qual ainda não há outros fatores de risco que possam confundir os resultados.   O estudo demonstrou também que quanto mais se demora no diagnóstico, menor é o funcionamento cognitivo da pessoa, sobretudo nos homens.   "Não entendemos muito bem como funcionam as doenças coronárias nas mulheres, talvez porque haja menos casos", apontou Singh.   Segundo a pesquisadora do University College de Londres e do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica da França, os resultados do estudo apontam que caso fossem combatidos os fatores de risco das doenças coronárias, seria possível também enfrentar o desenvolvimento da demência em idades mais avançadas.   Estes fatores de risco são o tabagismo, a diabetes, pressão alta e colesterol. As melhores formas de prevenção seriam uma dieta balanceada, a prática de exercícios, além de manter uma vida longe do cigarro.

Tudo o que sabemos sobre:
saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.