Robson Fernandjes/AE
Robson Fernandjes/AE

Estudo relaciona obesidade e diabetes durante a gestação ao autismo

Condições metabólicas das mães influenciam no desenvolvimento de deficiências no bebê

estadão.com.br

09 de abril de 2012 | 09h17

Um estudo conduzido por pesquisadores americanos aponta que a diabetes e a obesidade maternais podem aumentar o risco do bebê desenvolver autismo ou outra deficiência durante a gestação.

 

O trabalho, do Instituto de Investigação Médica de Doenças Neurológicas UC Davis, indica que as mães obesas têm 1,6 mais chances de ter um filho com autismo que mães não obesas e sem diabetes ou hipertensão. O primeiro grupo ainda estão duas vezes mais propensas a ter um filho com outros tipos de atraso neurológico. Já as gestantes com diabetes têm 2,3 mais chances de seu bebê desenvolver as deficiências.

 

Os pesquisadores ainda notaram que os filhos de mães diabéticas apresentaram um autismo mais acentuado que os das gestantes saudáveis, com maior déficit na compreensão e na produção da linguagem e na comunicação. Além disso, os filhos sem autismo de mães diabéticas também apresentaram algumas dificuldades na socialização e nas habilidades em torno da linguagem e da comunicaçao quando comparados às crianças não autistas do grupo de mães saudáveis.

 

"Cerca de um terço das mães americanas são consideradas obesas durante a gestação e quase um décimo tem diabetes gestacional ou tipo 2. Nossas conclusões de que o desenvolvimento dessas deficiências pode estar ligado às condições de saúde das mães levantam questões e também podem ser uma implicação para a saúde pública", disse Paula Krakowiak, uma das condutoras do estudo, publicado no órgão oficial da Academia Americana de Pediatria.

 

Entre as crianças nascidas de mães com diabetes tipo 2 ou gestacional, 9,3% nasceram com autismo e 11,6% com outro tipo de deficiência, porcentagens superiores às registradas nos filhos de mães sem tais condições - 6,4%. Mais de 20% das mães de crianças com autismo ou outra deficiência eram obesas. Apenas 14% das mães com bebês sem autismo estavam acima do peso.

 

Aproximadamente 29% das crianças com autismo têm mães com obesidade ou diabetes, e cerca de 35% das que apresentaram outra deficiência têm uma das condições metabólicas citadas. Entre as mães consideradas saudáveis, o índice de crianças com alguma deficiência é de 19%. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.