Estudo sugere que mulheres não se desculpam mais do que homens

Mulheres se desculpam com mais frequencia, mas enxergariam mais gravidades em ofensas

Efe

28 Setembro 2010 | 09h13

TORONTO - Um estudo realizado pela Universidade de Waterloo (Canadá), aponta que há pouca evidência para apoiar a crença popular de que as mulheres se desculpam mais facilmente que os homens.

 

De acordo com o estudo conduzido pela Dra. Karina Schumann e publicado na revista Psychologial Science, "há pouca evidência sistemática de apoio a este estereótipo ou seus alegados fundamentos", como que os homens têm um caráter mais frágil do que as mulheres.

 

Para chegar a essas conclusões, Schumann, juntamente com o Dr. Michael Ross, realizou dois estudos para examinar se o sexo estabelecia diferenças na hora de pedir desculpas e por quê.

 

No primeiro, 33 estudantes universitários registrados diariamente para todas as ofensas que ele tinha realizado ou experimentado e se havia oferecido um pedido de desculpas.

 

O resultado deste estudo foi que, apesar de as mulheres se desculparem com mais frequência do que os homens, também cometeram mais ofensas, pelo o que os cientistas canadenses descobriram então que os homens se desculpam menos porque têm uma maior tolerância sobre o que é um comportamento ofensivo.

 

Na verdade, homens e mulheres se desculparam o mesmo percentual de vezes, cerca de 81 por cento do tempo que sentia que ele tinha cometido uma ofensa.

 

No segundo estudo foi comprovada a validade da hipótese de tolerância ao pedir a 120 participantes que avaliassem ofensas imaginários e reais.

 

Como esperado, os homens classificados as ofensas com menor gravidade do que as mulheres.

 

"Essas diferentes qualificações da gravidade determinaram tanto a decisão da necessidade de um pedido de desculpas e real conduta apologética," afirmou Schumann.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.