Estudo sugere que tênis baratos são melhores que caros

Pesquisa mostrou que tênis mais baratos sustentaram mais o impacto sobre os pés.

BBC Brasil, BBC

11 de outubro de 2007 | 07h25

Corredores que compram tênis caros, apostando que serão mais confortáveis e eficientes na proteção contra o impacto sobre pés e joelhos, podem estar jogando dinheiro fora, sugere um estudo realizado na Grã-Bretanha.Pesquisadores da Universidade de Dundeen testaram pares de tênis de três diferentes faixas de preço: entre 40 e 45 libras (cerca de R$150), 50 e 65 libras (R$220) e 60 e 75 (R$255). Os calçados foram adaptados para receber uma sola eletrônica que mediu a pressão no calcanhar, na sola do pé e no dedão, e testados em 43 voluntários enquanto corriam numa esteira.O estudo, que foi publicado na revista British Journal of Sports Medicine, constatou que o impacto sobre a sola do pé foi menor quando os voluntários estavam calçando os tênis de baixo e médio custo. "Apesar de a diferença ter sido pequena, pode ser significante a longo prazo. O estudo sugere que os tênis mais baratos oferecem maior proteção contra o impacto durante a corrida", afirma Rami Abboud, líder da pesquisa. No quesito conforto, os voluntários apontaram que os calçados mais baratos não deixaram a desejar.Abboud, que não revelou as marcas dos calçados, disse que os tênis usados na experiência são de três grandes fábricas "que podem ser encontradas na prateleiras de qualquer as lojas"."A percepção do consumidores é que quando se paga mais, se leva para casa um produto melhor. Nós constatamos que nem a pressão nem o conforto estão relacionados com o preço".Durante uma corrida, os pés são submetidos a uma pressão equivalente a duas vezes e meia o peso corporal.Especialistas acreditam que o uso de um par de tênis de qualidade pode reduzir em até um terço a pressão sobre os pés e os joelhos, protegendo-os contra dores e contusões. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.