Estudos de sul-coreano produziriam células para uso médico

Os trabalhos publicados por Hwang Woo-Suk em 2004 e 2005 demonstravam, pela primeira vez, a clonagem de embriões humanos e a obtenção, a partir deles, de linhagens de células-tronco embrionárias humanas. Seria a prova de viabilidade da chamada clonagem terapêutica. O primeiro trabalho relatava a obtenção de uma única linhagem, a partir de um embrião clonado com células de uma mesma mulher saudável. Um resultado pioneiro, mas ainda um tanto limitado. O grande avanço teria vindo em 2005, com a produção de 11 linhagens de células-tronco clonadas de pessoas doentes, que poderiam realmente se beneficiar das pesquisas. O estudo teria envolvido homens e mulheres, com o uso de óvulos de doadoras. Outros grupos de pesquisa já trabalham com células-tronco embrionárias extraídas de embriões humanos congelados, produzidos por fertilização in vitro. Mas a expectativa sobre a clonagem é de que as células serão geneticamente idênticas aos pacientes, permitindo que elas sejam usadas no tratamento de doenças e lesões sem o risco de rejeição. As células-tronco embrionárias tem o potencial de se diferenciar em todos os tecidos do organismo, já que é a partir delas que o embrião forma um indivíduo adulto. O grande desafio é tentar reproduzir e controlar essa diferenciação em laboratório.

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2006 | 14h30

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.