Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

‘Eu me senti invadida’, diz mulher que teve de esperar decisão sobre aborto

J.H.R, de 35 anos, conseguiu autorização para abortar depois que foi estuprada em uma viagem

J.H.R, O Estado de S.Paulo

08 Março 2017 | 00h20

"Eu fui assaltada e estuprada durante uma viagem de férias. Fiz tudo o que havia para ser feito. Com a ajuda de amigas advogadas consegui a autorização judicial para abortar. Já estava com dez semanas de gestação quando interrompi. Sofri todas as dores e lembranças mais de uma vez. E me senti invadida em ter de aguardar um juiz analisar se eu, que sou a dona do meu corpo, teria ou não o direito de abortar uma criança que estava no meu ventre contra a minha vontade. Digo sem medo de errar que foi uma das piores esperas da minha vida. Entre descobrir a gravidez e conseguir a ordem judicial foram 12 dias. Ninguém merece passar por uma angústia desta. Por isso sou totalmente a favor da descriminalização do aborto."

Mais conteúdo sobre:
Aborto Mulher

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.