EUA dizem que dez pessoas têm 'alto risco' de contrair Ebola

EUA dizem que dez pessoas têm 'alto risco' de contrair Ebola

Pessoas sob suspeita tiveram contato com paciente diagnosticado com a doença no país; infectado está isolado em hospital no Texas

EFE

03 Outubro 2014 | 17h47

Dez pessoas que estiveram em contacto em Dallas (Texas) com o primeiro paciente de Ebola diagnosticado nos Estados Unidos têm um "alto risco" de contrair a doença, indicaram nesta sexta-feira, 3, as autoridades sanitárias americanas. 

"Como dissemos anteriormente, infelizmente não está descartada a possibilidade de outros casos de Ebola nos Estados Unidos. É algo que pode acontecer e estamos tomando as medidas necessárias e continuaremos vigiando essas pessoas de perto", disse a diretora do Centro Nacional de Doenças Emergentes dos Centros de Controle de Doenças (CDC), Beth Bell.

Em uma teleconferência com autoridades de Dallas, Beth Bell indicou que, apesar do "alto risco", nenhuma destas pessoas apresentaram sintomas da doença, como febre, dores musculares, vômitos e hemorragias.

A especialista dos CDCs, com sede em Atlanta (Georgia), explicou também que das cem pessoas destacadas em princípio como em situação de risco por seu contato com o paciente Thomas Eric Duncan, as autoridades determinaram que só 50 continuarão sendo observadas e avaliadas duas vezes por dia durante os próximos 21 dias.

Descontaminação. Uma equipe sanitária foi enviada ao apartamento onde Thomas Duncan ficou antes de ser internado no Texas. Lençóis, toalhas e colchões foram coletados, junto com uma mala de pertences pessoais do americano contaminado com Ebola. O material seguirá em barris até que receba autorização para ser incinerado. A descontaminação acontece cinco dias após a internação de Duncan.

Mais conteúdo sobre:
Ebola Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.