EUA liberam US$ 1 bilhão para vacina contra gripe aviária

O governo dos Estados Unidos deu ontem mais de US$ 1 bilhão a cinco fabricantes de medicamentos que estão desenvolvendo tecnologias para a produção em massa, mais rápida, de vacinas para o caso de uma pandemia de gripe aviária. Os fundos vêm dos US$ 3,8 bilhões que o Congresso liberou no ano passado para a preparação conta uma pandemia. O governo federal diz que seu objetivo é ser capaz de distribuir uma vacina para cada americano em seis meses de pandemia. Atualmente, as vacinas contra a gripe são produzidas em ovos de galinha especiais, mas a técnica não permite que se acelere para produção em massa. "A verdade dura é que, nesse momento, a capacidade para produzir vacinas em velocidade e quantidade necessárias para alcançar a todos simplesmente não existe nos Estados Unidos. Isso também acontece em países por todo o mundo, mas está prestes a mudar", disse Mike Leavitt, secretário nacional de saúde dos Estados Unidos, antes de assinar os contratos, que têm duração de cinco anos. Leavitt disse que as vacinas são a melhor linha de defesa do país se ocorrer uma pandemia. Ele se refere com freqüência à pandemia de 1918 como um exemplo de pior cenário que, segundo ele, poderia matar mais de dois milhões de americanos. "Não há razão para acreditarmos que o século 21 será diferente daqueles que já passaram", disse, ao descrever as perspectivas para uma pandemia. Especialistas temem que o vírus H5N1 da gripe aviária possa sofrer uma mutação e tornar-se facilmente transmissível entre humanos. Leavitt disse que os contratos ajudarão o governo a chegar a seus objetivos, incluindo a diversificação do suprimento doméstico de vacinas. Assim os Estados Unidos não precisariam depender da produção estrangeira durante uma pandemia. Ele também disse que a tecnologia poderia ajudar o país a construir seu estoque de vacinas para a gripe sazonal. Ele também assinalou que o governo está estocando também máscaras, luvas e outros equipamentos que poderiam ser usados em uma pandemia, além de ter contratado fabricantes de medicamentos para fornecer 4 milhões de vacinas contra o vírus H5N1. Segundo ele, os pesquisadores também estão trabalhando no desenvolvimento de uma nova geração de vacinas que protegeriam contra uma grande quantidade de vírus de gripe. "A criação deste tipo de vacina é o Santo Graal na prevenção da gripe", disse. "Os desafios são substanciais, mas se conseguirmos chegar lá, a ameaça de uma pandemia será carta fora do baralho".

Agencia Estado,

05 de maio de 2006 | 14h30

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.