Europa ganha seu primeiro centro contra pirataria de remédios

Serão analisadas amostras suspeitas e estudadas as embalagens e instruções dos produtos pirateados

Efe

04 de setembro de 2008 | 20h41

O grupo farmacêutico Sanofi-Aventis inaugurou nesta quinta-feira, 4, o primeiro centro europeu dedicado à luta contra a pirataria de remédios, que se transformou em uma indústria. A falsificação de remédios é "uma praga para a saúde pública que prolifera muito rapidamente", afirmou o presidente da companhia, Jean-François Dehecq, ao inaugurar o laboratório na cidade francesa de Tours. O centro analisará as amostras suspeitas de todo o mundo enviadas ao grupo por médicos, farmácias, pacientes e alfândegas, e também estudará as embalagens e instruções dos produtos pirateados. Isto permitirá rastrear as redes de falsificação, em sua maioria instaladas na China e na Índia, e estabelecer uma metodologia para detectar rapidamente os remédios pirateados. Segundo dados da ONU, os remédios falsificados representam em torno de 10% do mercado farmacêutico mundial.

Tudo o que sabemos sobre:
remédiospiratariasaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.