Reuters
Reuters

Europa mantém buscas por sonda russa perdida no espaço

Após uma falha ainda não esclarecida, ocorrida logo após o lançamento, sonda Phobos-Grunt ficou em órbita terrestre, em vez de seguir rumo a Marte

Efe,

07 de dezembro de 2011 | 19h22

A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) anunciou nesta quarta-feira, 7, que decidiu com a Rússia continuar tentando estabelecer contato com a sonda interplanetária russa Phobos-Grunt até a próxima sexta-feira, 9.

A ESA tentou nos últimos três dias, sem sucesso, entrar em contato com a Phobos-Grunt através de uma antena de 15 metros de diâmetro situada em Perth (Austrália), atendendo ao pedido da agência espacial russa Roscosmos, que perdeu o controle da sonda em 8 de novembro, dia do lançamento.

Após uma falha ainda não esclarecida, a nave ficou em órbita terrestre, em vez de seguir rumo a Marte. A Phobos-Grunt deveria cumprir uma missão de 34 meses em Fobos, uma das luas de Marte.

O projeto, avaliado em 5 bilhões de rublos (US$ 170 milhões), tinha como objetivo estudar a matéria inicial do sistema solar e ajudar a explicar a origem das luas marcianas Fobos e Deimos, assim como dos demais satélites naturais do Sistema Solar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.