Europa oferece verba para tapar buraco orçamentário de reator de fusão

A fusão nuclear produz menos detritos radioativos que o método de fissão, usado nas usinas atuais

EFE

21 Julho 2010 | 16h03

Corte esquemático do tokamak, área de contenção de combustível do futuro ITER. Divulgação

 

A Comissão Europeia (CE), órgão executivo da União Europeia, adotou uma proposta que prevê a redistribuição de verbas num total de 860 milhões de euros para financiar a construção do ITER, um reator experimental de fusão nuclear que deve ser baseado no sul da França.

 

Crise europeia ameaça reator de fusão nuclear de US$ 21 bilhões

 

O objetivo do ITER, um consórcio que conta ainda com participação dos EUA, China, Índia, Japão, Coreia do Sul e Rússia, é demonstrar a viabilidade econômica da fusão nuclear, o mesmo processo que alimenta o Sol e que é responsável pela explosão das bombas de hidrogênio.

 

A fusão produz menos detritos nucleares que o método de fissão, usado nas usinas de energia nuclear atuais, mas seu controle é um desafio tecnológico. 

 

O custo do ITER superou os 5 bilhões de euros estimados em 2009 e chegou a 15 bilhões. A proposta da CE ainda precisa ser aprovada pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho Europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.