Ex-admiradores de sul-coreano buscam explicações para fraude

A comprovação da falsificação dos resultados das pesquisas com células-tronco do sul-coreano Hwang Woo-Suk deixou muitos de seus ex-admiradores se perguntando: por que ele fez isso? Depois de três semanas recluso, Hwang apareceu ontem em público para pedir desculpas pela fraude, informaram algumas agências de notícias. Cientistas brasileiros ouvidos pelo Estado consideraram impossível imaginar que uma falsificação como essa não seria descoberta. Ainda mais tratando-se de um trabalho de tanta repercussão e com tantos co-autores. Por que, então, Hwang colocaria sua carreira em jogo dessa maneira? "Estava muito perto" ?Talvez ele achasse que estava muito perto e que iria chegar lá de qualquer maneira. Então quis ter a certeza de dar a notícia primeiro?, diz o médico Eduardo Moacyr Krieger, presidente da Academia Brasileira de Ciências e pesquisador do Instituto do Coração (Incor). O problema é que Hwang não chegou lá. Quase dois anos após a publicação do primeiro estudo, os investigadores da Universidade Nacional de Seul não encontraram nenhuma evidência de que Hwang tenha produzido uma única linhagem de células-tronco embrionárias clonadas. Nem a primeira de 2004 nem as 11 de 2005. Financiamento Outra especulação é que ele estaria pressionado a apresentar resultados para não perder (ou obter) financiamento. A ciência é uma área dependente de cooperação, mas também altamente competitiva. E quem fica com as glórias é aquele que publica uma descoberta primeiro. Hwang seria lembrado como o pioneiro da clonagem terapêutica: o primeiro a produzir embriões humanos clonados e derivar deles linhagens de células-tronco embrionárias para uso terapêutico. Em vez disso, vai ficar para a história como o autor de uma das maiores farsas científicas de todos os tempos. Responsabilidades Algo que ainda precisará ser investigado é a responsabilidade das dezenas de co-autores que assinam os trabalhos abaixo de Hwang - alguns dos quais foram responsáveis por denunciar a farsa. ?Toda fraude em ciência é insuportável para a própria comunidade?, afirma Erney Camargo, presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Segundo ele, o escândalo vai repercutir sobre todas as áreas da ciência. Vergonha O presidente Universidade Nacional de Seul, Chung Un-Chan, pediu desculpas ao mundo ontem e se disse envergonhado pela atitude de Hwang. ?Esse incidente deixou uma marca que não poderá ser apagada na Coréia e na comunidade científica internacional.? E garantiu que Hwang será severamente punido. O governo sul-coreano revogou o título de ?cientista supremo? de Hwang e disse que vai investigar o uso dos US$ 3 milhões dados a ele no ano passado. Ainda assim, centenas de pessoas fizeram uma vigília em defesa de Hwang ontem em Seul.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2006 | 13h17

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.