André Borges/Estadão
André Borges/Estadão

Ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha pede dados a comissão de ética sobre estudo da Prevent

Objetivo é obter informações sobre estudo realizado para testar a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19

Camila Turtelli, O Estado de São Paulo

25 de abril de 2020 | 13h27

Brasília. O ex-ministro da Saúde e deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) encaminhou um ofício à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa do Conselho Nacional de Saúde (Conep) pedindo informações sobre o estudo realizado pela Prevent Senior para testar a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19.

Como revelou o Estado, a Conep suspendeu a pesquisa após o órgão descobrir que os testes com pacientes foram iniciados antes de a empresa receber o sinal verde para conduzir o estudo, o que é proibido pelas normas do País. Os pesquisadores responsáveis foram convocados para prestar esclarecimentos sobre as suspeitas de irregularidade.

Padilha é membro da Comissão Externa da Câmara sobre ações contra o avanço da covid-19 no País. No documento, o deputado questiona quais medidas estão sendo tomadas pela Conep em relação ao estudo, se a Prevent Senior conduz outras pesquisas neste momento e quais providências legais a comissão tomará em relação ao desrespeito das normas de pesquisa pela entidade de saúde.

No ofício, ele também pede informações sobre a investigação dos óbitos relacionados ao estudo, se os pacientes incluídos na pesquisa seguiram critérios de qualidade e segurança clínica e científica, e se existe manifestação pública da Conep em relação aos testes.

A comissão de ética não tem obrigação nem prazo para responder ao requerimento de informações, mas os parlamentares buscam elementos que possam subsidiar uma eventual representação futura ou até mesmo demandas penais sobre este tema.

O próprio coordenador da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), o médico Jorge Venancio, afirmou ao Estado que “nunca viu algo tão grosseiro” ao se referir às supostas irregularidades cometidas pela operadora. De acordo com Venancio, os indícios de fraude são “fortíssimos”.

No pedido de informações, Padilha cita manifestações públicas do presidente Jair Bolsonaro e seus filhos em defesa dos estudos sobre o emprego da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, inclusive com menções à pesquisa da Prevent Senior, como base para o pedido.

O deputado solicita ainda que as autoridades policiais sejam oficiadas a investigar “potenciais crimes” praticados pelos proponentes da pesquisa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.