Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Exagero nos exercícios é prejudicial à rotina, alertam especialistas

Insônia, desequilíbrio e indisposição são sinais de que atividade física deve ser reduzida

Reuters

04 de junho de 2012 | 10h57

Especialistas em exerícios e condicionameno físico alertam que o exagero nos treinamentos são prejudiciais ao corpo e podem ter até consequências psicológicas, prejudicando a rotina de quem passa do ponto na academia.

 

"Temos exemplos bons e ruins de pessoas que exageram. Exercícios são como uma droga - se não faz o bastante, não obtém a parte boa, mas se faz demais, vai ter problemas", afirma Geralyn Coopersmith, diretora do Instituto de Condicionamento Físico Equinox, dos Estados Unidos.

 

Contusões nas canelas, nos calcanhares e tendinite são alguns dos problemas mais comuns entre os exagerados. Cansaço, irritação e mudanças repentinas de humor, aumento do ritmo cardíaco, febre e indisposição são sitomas de que a pessoa passou do ponto, alerta. "Em alguns dias, deve ser intenso, em outros, nem tanto. Se houver exagero, o corpo pode não aguentar".

 

A personal trainer Amy Dixon, responsável por uma série de DVDs para quem quer se exercitar em casa, diz tratar do assunto do exagero com seus alunos, mas o faz de forma delicada e apenas com quem está disposto a ouvir. "Quem treina de manhã e de noite exagera um pouco. O corpo acaba cansando", alerta.

 

Já o fisiologista Tom Holland, de Connecticut, disse ter abandonado clientes que pediram que ele forçasse ainda mais os treinos - cuja carga já era pesada. "Há pessoas que acreditam ser o Lance Armstrong", diz, em referência ao ciclista americano conhecido pela resistência incomum. "Tento fazer com que não se machuquem. Sempre coloco um dia de descanso no programa, mas quando os clientes tentam eliminá-lo, tento explicar que são essas folgas que os mantêm saudáveis", diz.

 

O problema, porém, pode ser psicológico. Jessica Matthews, do Conselho Americano de Exercícios Físicos, já mandou alguns alunos procurarem ajuda. "É ótimo ter profissionais que ajudam os clientes a perceber que existe um problema". Dores de cabeça, insônia e dores musculares recorrentes são sinais de que a rotina deve ser reduzida. "Há muitos enefícios em se exercitar, mas o exagero faz com que esses fatores bons não apareçam", conclui. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.