Exame de sangue poderá ajudar mulheres a prever a menopausa

Cientistas iranianos retiraram amostras de sangue de 266 mulheres com idade entre 20 e 40 anos

Associated Press

28 Junho 2010 | 12h52

Médicos poderão, um dia, usar um exame de sangue para prever, com décadas de antecedência, quando as mulheres entrarão em menopausa, disseram cientistas. Numa pesquisa apresentada nesta segunda-feira, 28, numa conferência europeia sobre fertilidade, realizada em Roma, especialistas iranianos afirmam que seus resultados preliminares podem representar o primeiro passo na criação de um instrumento para ajudar as mulheres a decidir quando ter filhos.

 

O exame não prevê quando a mulher perderá a fertilidade - o que tipicamente acontece cerca de uma década antes da menopausa - mas se os médicos souberem quando a menopausa começará, podem calcular uma aproximação da data do fim dos óvulos. Cientistas dizem que o exame poderá ser especialmente útil na identificação de mulheres que podem ter menopausa cedo, antes dos 50 anos.

Atualmente existem poucas pistas para os médicos deduzirem quais mulheres jovens estão destinadas a uma menopausa prematura. Exames de sangue e imagens dos ovários dão às mulheres um aviso prévio de poucos anos.

 

Cientistas iranianos retiraram amostras de sangue de 266 mulheres com idade entre 20 e 40 anos, e mediram a quantidade de hormônio AMH em seus corpos. O teste de AMH diz aos médicos quantos óvulos a mulher ainda tem no ovário. Duas outras amostras de sangue foram retiradas nos seis anos seguintes, e exames físicos também foram realizados.

 

Com base no AMH medido, os cientistas usaram um modelo matemático para estimar quando as mulheres entrariam na menopausa. Para as 63 mulheres do estudo que entraram na menopausa, a previsão dos cientistas se mostrou correta dentro de uma margem de quatro meses. O estudo teve início em 1998 e ainda se encontra em andamento.

 

"Não se trata de algo que podemos começar a usar amanhã", disse William Ledger, especialista em fertilidade da Universidade de Sheffield, e que não tomou parte no estudo. "Mas se funcionar mesmo, poderá ser imensamente útil para as jovens que estão decidindo entre trabalhar ou ter uma família".

 

Estudos anteriores feitos nos EUA, Canadá e outros países já haviam indicado que o AMH pode ajudar a prever a menopausa, mas nenhum trabalho de longa duração foi publicado ainda.

 

"Se nosso modelo for validado, mulheres na casa dos 20 anos poderiam fazer um exame de sangue que lhes daria uma boa estimativa da idade em que estarão na menopausa", disse o médico Ramezani Tehrani, que encabeçou o estudo.

 

Alguns especialistas, no entanto, se mantém céticos. "O princípio de medir o AMH é razoável, mas não testou certo de que seria possível prever a manopausa com décadas de antecedência usando um exame só", disse o ginecologista britânico Nick Panay.

 

Ele crê que pode se mostrar necessário testar as mulheres frequentemente à medida que envelhecem para monitorar a queda do hormônio.

Mais conteúdo sobre:
manopausa hormônio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.