Exame sistemático poderia reduzir Aids, diz OMS

Estudo mostra que testes regulares em todo o mundo ajudariam a conter infecção.

Imogen Foulkes, BBC

26 de novembro de 2008 | 07h48

Um estudo divulgado nesta quarta-feira pela Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que a implementação de um teste mundial para a detecção do vírus HIV, seguida imediatamente de tratamento para os casos positivos, poderia diminuir em 95% o número de pessoas desenvolvendo a Aids.Ainda segundo a pesquisa, essa estratégia poderia virtualmente eliminar a transmissão pelo vírus.O estudo se baseia em modelos computacionais que projetaram o que ocorreria se todas as pessoas com mais de 15 anos fizessem o exame a cada ano.Mas a OMS admitiu que o teste universal é uma idéia pouco realista, devido à fragilidade de vários sistemas de saúde no mundo.ObstáculosÀ primeira vista, os resultados do estudo da OMS parecem ser um argumento claro para que implemente um exame mundial, que poderia até se tornar algo trivial durante check-ups regulares, como o teste de pressão ou o de colesterol.Segundo os pesquisadores, o diagnóstico e o tratamento imediato com medicamentos anti-retrovirais poderiam reduzir os casos de Aids de 20 em cada mil para um em cada mil, em apenas dez anos.Mas atualmente, a maneira como testes e tratamentos são realizados não é uniforme ao redor do mundo. Além disso, enquanto cerca de 3 milhões de pessoas recebem o tratamento adequado, outros 6,7 milhões ainda precisam de acesso aos medicamentos.A OMS aletou também para o fato de que iniciar o tratamento com pacientes que ainda não desenvolveram a doença pode aumentar a resistência aos medicamentos.Ainda segundo a entidade, os efeitos colaterais do uso prolongado desses remédios são desconhecidos e podem ser severos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.