Executivos vivem mais do que trabalhadores braçais na Grã-Bretanha

Apesar do estresse, mais poderosos vivem mais tempo, dizem novas estatísticas.

BBC Brasil, BBC

29 de novembro de 2007 | 13h15

Homens que trabalham em profissões rotineiras, como motoristas de ônibus e coletores de lixo, estão mais sujeitos a morrer cedo, segundo novas estatísticas publicadas na Grã-Bretanha.Dados do Office for National Statistics, órgão britânico de estudos estatísticos, revelam que esses profissionais têm quase três (2,8) vezes mais chances de morrer por volta dos 64 anos de idade do que gerentes de alto nível.Esta é a primeira vez que a entidade analisa índices de mortalidade usando um novo sistema de classificação social.Profissionais liberais, como advogados e arquitetos, também apresentaram índices mais baixos de morte prematura na Inglaterra e no País de Gales. No caso desses profissionais, no entanto, os índices de mortalidade são mais altos do que os dos altos executivos.Segundo especialistas, há menor probabilidade de que esses trabalhadores morram em acidentes, ataques violentos e por suicídio.Comentando as estatísticas, o especialista em desigualdade na saúde Danny Dorling, da Sheffield University, no norte da Inglaterra, disse: "Não são as profissões que estão causando as mortes prematuras, ao contrário do que acontece quando homens que trabalham em minas morrem"."As maiores causas da morte nessa faixa etária são acidentes, violência e suicídio e isto está vinculado a quanto você ganha e quão valorizado é no seu trabalho"."Os que fazem trabalhos mais bem-pagos e mais prestigiosos estão menos sujeitos a sofrer violência, comportam-se diferentemente, são melhor tratados e valorizam mais seu trabalho".Fatores como controle sobre o próprio trabalho e segurança no emprego também influenciam os resultados, dizem os especialistas.As revelações ocorrem em um momento em que a expectativa média de vida dos britânicos cresce continuamente.A média em todo o país, com exceção da cidade de Glasgow, na Escócia, está acima dos 70 (76,9) anos para homens. Para as mulheres, a média já supera os 70 (81,3) anos há algum tempo. As estatísticas para mortes prematuras por ocupação compiladas entre 2001 e 2003 revelaram que, entre 100 mil trabalhadores de profissões rotineiras, houve 513 mortes.Trabalhadores em profissões semi-rotineiras, entre eles carteiros e seguranças, também estão mais sujeitos a morrer cedo. Foram registradas 473 mortes para cada 100 mil profissionais desse grupo.O número cai para 182 entre 100 mil gerentes de alto nível, incluindo presidentes de grandes companhias.No grupo de trabalhadores autônomos, como donos de lojas e pedreiros, houve pouco mais de 300 mortes no mesmo período. A inclusão de pedreiros no grupo acima revela um aspecto interessante da vida na Grã-Bretanha. Profissionais do setor de construção são bem pagos no país, podendo ganhar salários iguais aos de médicos e outros profissionais liberais.Por conta da grande demanda, exercem mais controle sobre suas profissões e isto exerce influência positiva sobre as estatísticas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.