Exército recolhe arroz contaminado por fungo no Maranhão

Ao todo, 42 pessoas morreram de beribéri no Estado e outras 600 apresentaram os sintomas da doença

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

25 de março de 2008 | 11h34

As tropas do Exército irão recolher o arroz contaminado por fungo no Maranhão, que, segundo pesquisadores, já causou mortes no Estado. Ao todo, 42 pessoas morreram de beribéri no sudoeste do Maranhão e outras 600 apresentaram os sintomas da doença: fraqueza muscular e complicações respiratórias e cardíacas. As informações são do jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo.   Veja também:  Maranhão combate surto de beribéri causado por arroz   Pesquisadores de uma universidade do Rio de Janeiro concluíram que o arroz está contaminado por um fungo que se propaga em ambientes quentes e úmidos, condições em que a maioria dos lavradores estoca o alimento. As lavouras ficam em uma região onde antes existia uma floresta, e a umidade média do ar atinge 91%. O fungo é resistente e capaz de sobreviver a temperaturas de até 250ºC.   O governo decidiu que vai recolher todo o produto contaminado, em troca de arroz saudável. O estoque da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) na região também está sob suspeita. Amostras estão sendo analisadas em Minas Gerais.   Feijão e milho   A safra de arroz no Maranhão está prevista para os meses de março e abril. O risco de contaminação aumenta na colheita e na estocagem dos grãos. E ainda há um alerta: o fungo afeta outras culturas na região, como o feijão e o milho.

Tudo o que sabemos sobre:
ArrozMaranhãoberibéri

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.