Nasa/Divulgação
Nasa/Divulgação

Explosão catastrófica pode ter dado origem a uma das luas de Marte

Composição de Fobos indica que rochas são do mesmo tipo das que existem no planeta, e não de asteroides

estadão.com.br, estadão.com.br

20 Setembro 2010 | 17h25

Cientistas encontraram sinais de que Fobos, uma das duas luas de Marte, formou-se relativamente perto de sua localização atual, por meio da aglomeração de material lançado na órbita marciana por um evento catastrófico.

 

Duas abordagens independentes, realizadas pela sonda  Mars Express, da Agência Espacial Europeia (ESA) e pela Mars Global Surveyor, da Nasa, produziram resultados similares, apresentados nesta segunda-feira, 20, no Congresso Europeu de Ciência Planetária, que acontece em Roma.

 

A origem das duas luas de Marte, Fobos e Deimos, é um antigo enigma para a ciência. Uma hipótese propõe que ambas seriam asteroides capturados pela gravidade marciana.

 

Outros cenários propõem que ambas as luas se formaram onde estão, por meio da aglomeração de material expelido do planeta após um grande impacto ou dos restos de uma lua destruída pela atração de Marte.

 

Segundo pesquisadores, uma compreensão da composição das luas é fundamental para excluir algumas dessas propostas.

 

Observações anteriores de Fobos haviam sido interpretadas como sugerindo a presença de condritos carbonáceos, um material primitivo associado a asteroides. Essa descoberta viria a apoiar a ideia do asteroide capturado.

 

Mas novas observações, feitas pela Mars Express, não combinam bem com a proposta dos condritos, e favorecem a hipótese da origem local. Entre as descobertas, há sinais de que parte do material que compõe a lua teria interagido com água antes de ser incorporado a Fobos.

 

Outras observações indicam uma identidade com materiais encontrados na superfície marciana.

Mais conteúdo sobre:
martefobosesanasamars express

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.