Universidade de Rochester/Divulgação
Universidade de Rochester/Divulgação

Expressão rudimentar ajuda a criança a aprender novas palavras

Dar uma pausa antes da palavra nova dá tempo para as crianças prestarem atenção no que será dito

estadão.com.br,

15 Abril 2011 | 11h41

SÃO PAULO - Expressões de hesitação, como "hum" e "ah", geralmente usados quando a pessoa está em dúvida sobre o que vai falar, ajudam as crianças no processo de aprendizagem de novas palavras, de acordo com estudo da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, e publicado na versão online da revista Developmental Science.

Veja também:

somOuça exemplo de frases usadas no estudo

A equipe de cientista cognitivos que desenvolveu este estudo diz que a razão para isto acontecer é a ligação que as crianças fazem com o momento para prestar atenção, ou seja, se a mãe diz "Olhe os, hum, ah, rinocerontes", a pausa dá tempo para as crianças se prepararem para prestar atenção e consequentemente aprender a nova palavra.

Para este estudo, os pesquisadores observaram três grupos de crianças com idades entre 18 e 30 meses. As crianças foram colocadas com os pais ou mães em frente a uma tela com dispositivo que monitorava para onde as crianças estavam olhando. Duas imagens apareciam na frente delas, um deles era um objeto familiar, como bola ou livro, e o outro era um objeto inventado, com um nome inventado. Um voz mecânica então fez frases simples incluindo os objetos. Quando a voz tropeçou nas palavras e disse, por exemplo, "Olhe para, hum..." a criança instintivamente olhava para o objeto desconhecido com uma frequência 70% maior.

Mas é interessante observar que os efeitos observados neste estudo não atingem crianças com menos de dois anos. Isso porque os bebês mais novos ainda não conseguem compreender que as pausas servem para introduzir uma nova palavra. Já as crianças com idades entre dois e três anos estão em um estágio de desenvolvimento de sentenças rudimentares e já têm o vocabulário formado por algumas centenas de palavras. Nesta fase, a quantidade de palavras a que as crianças são exposta é mais importante que a qualidade das frases ditas para elas.

Mais conteúdo sobre:
pesquisa criança bebê

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.