Divulgação/Bharat Biotech
Divulgação/Bharat Biotech

Fabricante diz que vacina Covaxin tem 81% de eficácia após análise preliminar da fase 3

Mais de 40 países demonstram o interesse em receber o imunizante da Bharat Biotech, empresa da Índia

Sachin Ravikumar e Anuron Kumar Mitra, Reuters

03 de março de 2021 | 11h17

BENGALURU - A vacina Covaxin, da Bharat Biotech, apresentou 81% de eficácia na prevenção da covid-19 em uma análise preliminar de um ensaio em fase 3 na Índia, disse nesta quarta-feira, 3, a empresa. A notícia reforça o ânimo de alguns profissionais de saúde que já vinham sendo imunizados com ela mesmo sem ter esses dados em mãos.

O resultado positivo também reforça as perspectivas de vendas no exterior, pois a vacina, a primeira de covid-19 bem-sucedida da Índia, já atrai o interesse de mais de 40 países, de acordo com a empresa que tem sede em Hyderabad.

Leia Também

Guia da Vacina

Guia da Vacina

"A Covaxin demonstra uma alta eficácia clínica contra a covid-19 e também apresenta imunogenicidade significativa contra as variantes que estão surgindo", disse Krishna Ella, presidente da Bharat Biotech, em um comunicado. Ele disse que a análise é baseada em 43 casos de pacientes com covid-19 que apresentaram sintomas que variam de leve a moderado e grave, e do total de casos, 36 eram do grupo placebo, enquanto sete casos eram daqueles que receberam a vacina.

Os resultados são divulgados em um momento em que a Índia se esforça para convencer seus trabalhadores de saúde e de linha de frente a tomar a Covaxin, que foi aprovada em janeiro sem dados de eficácia de estágio final. Apenas cerca de 11% dos mais de 10 milhões de indianos vacinados haviam tomado a injeção da Bharat Biotech na semana passada.

Muitos políticos na Índia, incluindo o primeiro-ministro Narendra Modi, foram vacinados com a Covaxin esta semana, em vez de um outro imunizante desenvolvido pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, na tentativa de aumentar a confiança na vacina fabricada localmente.

Com mais de 11 milhões de infecções até agora, a Índia está lutando contra o maior surto de covid-19 do mundo depois dos Estados Unidos. Bharat, que assinou um acordo com o Brasil para fornecer 20 milhões de doses da injeção, disse que a próxima análise provisória terá como alvo 87 casos e a análise final será baseada em 130 casos.

Sua primeira análise preliminar foi baseada em um ensaio clínico de Fase 3 envolvendo 25.800 participantes que foi conduzido com o corpo de pesquisa médica do governo indiano. O estudo incluiu 2.433 participantes com mais de 60 anos e 4.500 participantes com comorbidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.