Faculdade do ABC investe em estudo de células-tronco

A disciplina de reprodução humana da Faculdade de Medicina da Fundação do ABC investiu R$ 2 milhões para dar início a pesquisas com células-tronco. Os trabalhos serão coordenados pelo Instituto de Pesquisas em Células-Tronco (IPCT), ONG composta por médicos e professores de várias áreas da faculdade. Inicialmente, os pesquisadores da Fundação do ABC concentrarão os estudos em córnea, leucemia e produção de óvulos para reprodução assistida. O laboratório da faculdade está em funcionamento e nele já é realizado o isolamento de células-tronco de medula óssea animal para obtenção de células ovarianas in vitro. "Contratamos uma bióloga com doutorado em células-tronco e custeamos a viagem dela e da coordenadora de pesquisas do instituto, Ângela Mara Bentes de Souza, para a Universidade de Wisconsin, grande centro de pesquisas com células-tronco dos Estados Unidos", disse Caio Parente Barbosa, diretor-executivo do IPCT e responsável pela disciplina. Depois do pontapé inicial, a ONG agora busca financiamento dos projetos com a iniciativa privada. Existem hoje 41 grupos de pesquisa com células-tronco em todo o País financiados pelo governo federal. As informações são do ABC Repórter.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.