NASA/JPL-Caltech
NASA/JPL-Caltech

Falta de metano em exoplaneta gigante intriga cientistas

Metano é um componente comum de vários planetas do nosso Sistema Solar

estadão.com.br, estadão.com.br

14 Setembro 2010 | 16h12

O planeta gigante GJ 436b, descoberto em 2004 e localizado a 33 anos-luz da Terra, na direção da constelação de leão, é uma anomalia: não tem quantidades apreciáveis de metano em sua atmosfera.

 

Metano é um componente comum de vários planetas do nossos Sistema Solar. Modelos teóricos de atmosferas planetárias sugerem que qualquer mundo dotado da mistura de hidrogênio, carbono e oxigênio em sua atmosfera e com temperaturas de até 700º C deveriam contar com uma grande quantidade de metano e uma pequena quantidade de dióxido de carbono.

 

Com temperatura de cerca de 500º C, GJ 436b é uma exceção. Segundo a Nasa, isso mostra a diversidade dos planetas encontrados fora do Sistema Solar, e a necessidade de mais estudos.

 

O planeta GJ 436b tem massa comparável à do planeta Netuno. Ele completa uma órbita em torno de sua estrela em menos de três dias, e está a uma distância do astro menor que 3% da que separa a Terra do Sol.

 

Sua estrela tem cerca de metade da massa do Sol, e idade estimada em cerca de 6 bilhões de anos.

Mais conteúdo sobre:
planetas nasa astronomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.