Falta de remédio contra aids na Rússia pode fortalecer vírus

Muitos russos infectados com o HIV sofrem com falta de medicamentos, dizem especialistas e ativistas, alertando para a possibilidade de que interrupções de tratamento causem o surgimento de formas do vírus resistente às drogas. Desabastecimento de drogas usadas no combate ao HIV já ocorreram em partes da Rússia, "afetando de forma grave a vida dos pacientes", informa o escritório moscovita da Organização Mundial da Saúde (OMS). "Se a situação não mudar, a Rússia poderá se tornar um fornecedor mundial de formas resistentes do vírus", disse Mikhail Rukavishnikov, líder da Associação de Russos Vivendo com HIV. Rukavishnikov afirma que pelo menos dois compatriotas morreram por não conseguir tratamento anti-retroviral. Ele diz ter recebido pelo menos 15 queixas de interrupção de tratamento. Algumas pessoas atribuem a escassez à burocracia que atrapalha a batalha da Rússia contra a aids. O país tem o maior número de casos de infecção por HIV da Europa. "No nível político e legislativo, esse desabastecimento de droga anti-retroviral parece ser o resultado desastroso da falta de coordenação" entre autoridades federais e regionais envolvidas no combate à doença, disse Akrom A. Eltom, líder do programa HIV/AIDS da OMS em Moscou.

Agencia Estado,

21 de junho de 2006 | 16h50

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.