Falta remédio em São Paulo para quem fez transplante

Alguns pontos de distribuição de remédios pelo SUS em São Paulo, sob a responsabilidade da Secretaria de Estado da Saúde, não têm há cerca de uma semana um medicamento que deve ser tomado diariamente por pacientes submetidos a transplante de fígado. De acordo com a secretaria, a situação começou a ser regularizada ontem e estará normal em cerca de dez dias. O órgão alega, sem dar números nem mais explicações, que a falta do medicamento Prograf foi provocada por um aumento inesperado da demanda. "Ficamos uma semana sem receber o remédio nos postos de distribuição. Isso nunca havia ocorrido antes", disse Sidnei Moura Nehme, paciente e presidente da Associação Brasileira dos Transplantados de Fígado e Portadores de Doença Hepáticas (Transpática).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.