Mohd Rasfan/AFP
Mohd Rasfan/AFP

Farmacêuticos serão treinados para realizar teste de coronavírus; redes se preparam para aplicar

Em uma rede de farmácias de Fortaleza, teste rápido custará R$ 193, se feito nas farmácias no modelo drive thru, ou R$ 271 quando for feito em domicílio

Érika Motoda, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2020 | 10h00

Farmácias e drogarias já estão autorizadas a aplicar os testes rápidos para o novo coronavírus, conforme prevê a Resolução 377 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), publicada no Diário Oficial da União da quarta-feira, 29. Para isso, os farmacêuticos de São Paulo poderão passar por treinamento no Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo. Há pelo menos 17 exames do tipo cadastrados no País e as redes começam se preparar para oferecer o serviço. 

O teste rápido detecta a presença de anticorpos no organismo, portanto, é uma ferramenta de auxílio indicada para verificar se o paciente já esteve em contato com o coronavírus. Especialistas alertam, porém, que o teste rápido é pouco confiável, não serve para diagnósticos individuais e pode levar a comportamentos de risco. Outros países, como o Reino Unido, tiveram problemas com esse tipo de exame por causa da baixa qualidade dos resultados. 

A rede de farmácia Pague Menos vai oferecer o teste rápido inicialmente em duas unidades de Fortaleza. O agendamento para o exame começa nesta quinta-feira, 30, por telefone. Uma entrevista prévia será feita com o cliente para saber o tempo de aparecimento dos sintomas da covid-19. Só exames com agendamentos serão feitos. Custará R$ 193, se feito nas farmácias no modelo drive thru, ou R$ 271 quando for feito em domicílio, com uma equipe de farmacêuticos indo até a casa do paciente. 

As drogarias Araújo, maior rede do tipo em Minas, também anunciou que vai oferecer testes rápidos em dez unidades. Deve procurar as farmácias quem esteve exposto ao coronavírus há pelo menos 20 dias ou se apresentou febre, tosse ou dor de garganta nos últimos 10 dias. Os farmacêuticos de plantão vão realizar pré-teste para, então, aplicar o teste rápido. 

Grupo DPSP, responsável pelas Drogarias São Paulo e Pacheco, informou que está avaliando a possibilidade de oferecer os testes em suas unidades. Já o grupo Raia Drogasil, dono da drogaria Raia, Drogasil e Drogaria Onofre, não tinha nada definido sobre o serviço até a noite de quarta.

Quem pode testar

Os testes devem ser aplicados em pessoas cujos sintomas compatíveis com síndrome gripal tenham se iniciado há pelo menos 8 dias, escreveu a Associação Brasileira Redes Farmácias Drogaria (Abrafarma) em nota técnica. Ou seja, é indicado para quem teve febre, tosse, dor de garganta, coriza ou alguma dificuldade respiratória. 

No caso de crianças, considera-se também a presença obstrução nasal. Para idosos, a febre pode estar ausente, mas deve-se considerar também critérios de agravamento específicos, como síncope (desmaio ou perda temporária de consciência), confusão mental, sonolência excessiva, irritabilidade e falta de apetite. 

Quais são os testes

A Abrafarma recomenda a utilização exclusiva dos seguintes testes cadastrados na Anvisa:

  • Teste Rápido em Cassete 2019-nCoV IgG/IgM
  • One Step Covid-2019 Test
  • Coronavírus Rapid Test
  • Coronavírus IgG/IgM (Covid-19)
  • Eco F Covid-19 Ag
  • Covid-19 IgG/ IgM ECO Teste
  • Covid-19 Ag Eco Teste
  • MedTest Coronavírus IgG/IgM
  • Anti Covid-19 IgG/ IgM
  • Família cobas Sars-CoV-2
  • Família Kit de Detecção por PCR em Tempo Real Viasure Sars-Cov-2
  • Lumiratek Covid-19
  • Maglumi IgM de 2019-nCoV
  • Smart Test Covid-19 Vyttra
  • myAIRVO 2
  • Família Kit Xgen Master Covid-19
  • DPP Covid-19 igM/IgG System

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.