Dado Galdieri/New York Times
Dado Galdieri/New York Times

Favelas do Rio têm mais mortes por covid que 14 Estados brasileiros

Mesmo em locais populosos, como Rio Grande do Sul e Paraná, há menos registros de óbitos pelo novo coronavírus do que nas comunidades cariocas

Caio Sartori, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2020 | 12h01

RIO - Se fossem um Estado avulso, as favelas do Rio estariam na 14ª posição na lista dos que mais registraram mortes pela covid-19 no País. São, ao todo, 176 óbitos confirmados pelo novo coronavírus até esta quinta-feira, 21, segundo levantamento da ONG Voz das Comunidades. As comunidades - que, segundo o Censo 2010 do IBGE, somam 1,4 milhão de pessoas - ficariam à frente, por exemplo, de Estados populosos como Rio Grande do Sul e Paraná, que têm populações de mais de 10 milhões de habitantes. 

A favela mais afetada é a Rocinha, na zona sul, com 49 mortes - mais que o dobro da Maré, na zona norte, que registra 23 óbitos e aparece em segundo na lista. 

Os números superlativos nas comunidades da capital também ficam claros quando comparados com municípios vizinhos. Com população de quase 1 milhão de pessoas, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, é a cidade fluminense mais afetada pelo coronavírus depois do Rio. E tem menos mortes que as favelas: 167. 

Em meio a esse cenário, as comunidades ainda enfrentam outro problema antigo: as operações policiais de combate ao tráfico. Mesmo com a pandemia, o Complexo do Alemão, na zona norte, passou por uma delas na semana passada. O resultado foram 13 mortes - a favela tem 14 óbitos por covid. 

“Em meio à pandemia, uma operação policial na favela. Aqui mesmo onde falta água e a fome se faz presente... Vejam, essa foi a principal forma que o estado dialogou com o nosso momento atual. A falsa ideia de guerra contra as drogas, que não transforma realidades de forma positiva e aumenta a violência. Lastimável. Se não morrer de vírus ou de fome, te matarão com tiros de fuzil, em nome de uma segurança pública que não inclui nosso povo”, escreveu nas redes sociais o ativista Raull Santiago. 

O Estado do Rio registra, ao todo, 32.089 infectados e 3412 mortes pela doença. É o segundo mais afetado do País, atrás apenas de São Paulo. Veja abaixo a tabela pelo número de óbitos: 

Estados Casos Óbitos
São Paulo 73739 5558
Rio de Janeiro 32089 3412
Ceará 31413 2161
Pernambuco 23911 1925
Pará 19756 1852
Amazonas 25367 1620
Maranhão 16058 663
Bahia 11941 376
Espírito Santo 8878 363
Alagoas 4916 262
Paraíba 6238 245
Minas Gerais 5596 191
Rio Grande do Norte 4060 178
FAVELAS DO RIO 650 176
Rio Grande do Sul 5473 166
Amapá 5188 151
Paraná 2810 141
Rondônia 2659 101
Santa Catarina 5610 98
Piauí 2852 91
Goiás 2114 85
Distrito Federal 5542 84
Acre 3103 78
Sergipe 4734 76
Roraima 2146 72
Tocantins 1976 47
Mato Grosso 1172 34
Mato Grosso do Sul 746 17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.