Nathália Nhan/AE
Nathália Nhan/AE

Feira da indústria farmacêutica traz produtos inusitados a São Paulo

Empresas apresentem peeling com veneno de cobra a comprimido que melhora o humor

Nathália Nhan - estadão.com.br

06 Julho 2012 | 15h17

A indústria farmacêutica está sempre inovando e, quanto a isso, não há o que discutir. Mas, mesmo assim, ela ainda consegue nos surpreender. Você pode imaginar um peeling feito a partir de veneno de cobra? E um gloss inibidor de apetite? Ou, quem sabe, um comprimido que promete melhorar o humor em três horas? Estes são apenas alguns dos produtos expostos no 7º Congresso Internacional Consulfarma voltado para profissionais das áreas de farmácia, medicina, nutrição e cosméticos.

 

O evento, que reúne cerca de 60 expositores no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo, traz, além de alguns produtos inusitados que prometem milagres em relação à aparência e ao bem estar, um local em que você pode produzir o seu próprio creme hidratante: a Cosmeteria. Dividida entre agentes para o corpo ou para o rosto, que vão de ação anti-idade e antioxidante à redução de celulite ou clareamento da pele, o cliente escolhe quais benefícios quer incluir no seu recipiente no maior estilo self-service.

 

Beleza. É na Cosmeteria, também, que estão reunidos os produtos mais exóticos da feira. O chiclete da beleza é um dos que mais chama atenção. Enriquecido com 10mg de silício orgânico, o produto pode melhorar a aparência da pele, do cabelo e das unhas. Basta marcar um único desses por dia para os resultados aparecerem.

 

O peeling com veneno de cobra pode parecer assustador, mas Maurício Pupo, presidente da Consulfarma - empresa especializada em marketing farmacêutico e cosmética e idealizadora desses produtos inusitados - tranquiliza os receosos. "Uma das composições desse peeling é um peptídeo sintético chamado waglerina, feito na Suíça, baseado no veneno da cobra chamada wagléria, que paralisa a vítima ao picá-la. E é exatamente essa ação que esse produto tem na musculatura. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) jamais permitiria que fosse usado veneno de cobra de verdade em um cosmético", explicou Pupo. Em apenas 20 minutos o produto começa a fazer efeito, renovando a pele e disfarçando rugas, como se imitasse a ação de um botox.

 

Também como forma de facilitar a vida do consumidor, foram criados dois cremes em forma de comprimido: um hidratante e outro anticelulite. Basta pingar algumas gotas de água que o comprimido se transforma em um creme convencional, mas com a vantagem de ser mais prático para ser guardado e transportado.

 

Saúde. Há ainda os produtos voltados para o bem estar, como um comprimido que promete melhorar o humor em apenas três horas. Ao ingeri-lo, nosso organismo produz a famosa serotonina. Essa reação traz uma sensação de prazer ao mesmo tempo em que reduz os níveis sanguíneos de cortisol, conhecido como o hormônio do stress.

 

Um gloss labial com inibidor de apetite também garante ajuda em relação à saúde. A ideia é que ele contribua com a reeducação alimentar, pois sempre que a fome vier em hora errada, como logo antes de dormir, o batom pode ser usado para fazer a vontade sumir. Tudo isso graças ao açúcar extraído da framboesa, principal componente da sua fórmula.

 

Segundo Pupo, a expectativa é que essas invenções cheguem logo ao consumidor final. "Por causa do congresso, nesta segunda-feira, 09, já chegam às farmácias de manipulação. Mas só a partir de um ano, mais ou menos, as indústrias começam a fabricar, porque existe um processo mais lento em relação à industrialização por conta de alguns procedimentos como registro na Anvisa".

 

Durante a convenção, também são realizadas palestras e aulas com participações de especialistas de diferentes áreas como o cozinheiro Olivier Anquier e o nadador Gustavo Borges. O 7º Congresso Consulfarma termina neste sábado, 07. 

Mais conteúdo sobre:
cosméticossaúdevida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.