Roberto Zacarias/Mafalda Press
Roberto Zacarias/Mafalda Press

Feriadão em Florianópolis começa com UTIs lotadas

Um dos principais destinos turísticos em Santa Catarina, capital está com 88% dos leitos ocupados por causa do crescimento de casos do novo coronavírus

Fábio Bispo, Especial para o Estadão

31 de outubro de 2020 | 20h48

FLORIANÓPOLIS - A região da Grande Florianópolis, destino turístico de muitos neste feriadão em Santa Catarina, está com as UTIs lotadas. A taxa de ocupação de leitos adultos na capital atingiu 88%, segundo dados do município. Na sexta-feira, 30, o Ministério Público catarinense recomendou aos prefeitos das cidades litorâneas maior rigor nas ações de fiscalização no combate ao novo coronavírus.

Na Grande Florianópolis, o número de internações nas UTIs por covid-19 mais que dobrou em um mês, saltando de 24 internados em 1.ª de outubro para 63 na sexta-feira, 30. Na semana passada, o Hospital Florianópolis, referência para tratamento na região, atingiu a capacidade máxima de ocupação.

O número de novos casos na Grande Florianópolis, que vinha em queda desde julho, quando atingiu o pico máximo de infectados, aumentou quase três vezes. Em agosto foram registrados 5.470 casos, em outubro, até o dia 30, foram registrados 14.228. O número de mortes também aumentou na região, depois de dois meses em queda. Em agosto, foram 30 mortes na Grande Florianópolis, em outubro já são 41 registros de óbitos. No Estado, desde o início da pandemia, já são 3.094 mortes e mais de 256 mil infectados.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, Raquel Bittencourt, o Estado elaborou diagnóstico do cenário atual da pandemia e dos reflexos da aglomeração registrada no feriado de 12 de outubro no número de casos diários. E foi constatado que a região da capital vem apresentando alta em número de casos nos últimos dias.

A capital foi a região em Santa Catarina que apresentou a maior taxa de crescimento de casos em outubro.

A Vigilância Sanitária do município informou que irá fiscalizar restaurantes, hotéis e bares para avaliar o cumprimento das regras sanitárias. E a Vigilância Estadual e suas regionais irão apoiar as demandas dos municípios. Foi definida que uma ação será realizada com foco nas praias, parques e rotas gastronômicas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.