Fetos para estudo são descartados no lixo de hospital em Nova Iguaçu (RJ)

Hospital afirma obedecer regulamento de descarte; sindicato classificou o caso como 'escândalo'

estadão.com.br,

18 de abril de 2012 | 02h50

SÃO PAULO - Um total de 25 fetos - utilizados em estudos - foi encontrado, na tarde desta terça-feira, 17, no lixo do Hospital Municipal Geral da Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, pelo funcionário da empresa responsável pelo recolhimento de lixo do estabelecimento de saúde.

 

Ao sentir um forte e desagradável odor vindo dos sacos de lixo, o funcionário abriu um deles e encontrou parte dos fetos. Policiais militares do 20º Batalhão foram acionados e encaminharam o chefe do Setor de Patologia do hospital para a 58ª Delegacia, de Posse, para que ele prestasse depoimento.

 

À polícia foi dito que vários dos fetos são de 2004 e que eram utilizados em estudos. Em nota, o hospital da Posse disse que "obedece o regulamento de descarte de Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)".

 

Os fetos serão incinerados nesta quarta-feira, 18. O presidente do Sindicato dos Médicos, Jorge Darze, classificou como escândalo este caso e disse que, mesmo sendo para estudo, os fetos não poderiam ser jogados no lixo e deveriam ser encaminhados para perícia no IML para garantir que não são resultado de crimes, como aborto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.