Gian Mattia D'Alberto/LaPresse via AP
Gian Mattia D'Alberto/LaPresse via AP

Fiat, Amazon e Kia restringem viagens de funcionários por causa do coronavírus

Gigantes orientam funcionários a evitar deslocamentos internacionais por preocupações com a saúde

Cleide Silva e Márcia De Chiara  , O Estado de S.Paulo

06 de março de 2020 | 09h00

SÃO PAULO - A direção mundial da FCA Fiat Chrysler enviou a todas as unidades do grupo recomendação para que executivos e profissionais de todas as áreas evitem viagens e utilizem mecanismos como videoconferências para reuniões ou discussões de projetos. O grupo tem duas fábricas de automóveis no Brasil, uma da marca italiana Fiat em Minas Gerais e outra da Jeep em Pernambuco.

Segundo a empresa, cada viagem terá de ser submetida à matriz, mas a ordem é evitar exposições em aeroportos, aviões e locais onde há vários casos do coronavírus, como a Itália.

Na Amazon, as reuniões presenciais que envolvam viagens internacionais também foram substituídas por reuniões por videoconferência, diz o presidente da empresa no Brasil, Alex Shapiro. Em razão da epidemia de coronavírus, a atenção da companhia está voltada para a saúde dos funcionários, afirma o executivo.

O presidente da Kia Motors do Brasil, José Luiz Gandini, informa que a matriz coreana cancelou duas convenções mundiais, das quais participariam importadores da marca. Uma delas seria realizada em abril, na Coreia do Sul, e outra em maio, na Espanha. “Por enquanto não temos nenhum problema com importação de peças e de veículos”, diz Gandini, importador oficial da marca no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.