Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Filas nos postos de vacinação do Rio marcam fim da campanha contra H1N1

Apesar do fim da ação nacional, postos do Estado vão aplicar as doses até terminar o estoque

Agência Brasil

02 Junho 2010 | 17h41

RIO DE JANEIRO - Os postos de vacinação da cidade do Rio ficaram lotados na manhã desta quarta-feira, 2, último dia da campanha de vacinação contra a influenza A (H1N1). O último alvo da mobilização são crianças de 2 a 5 anos, gestantes e adultos entre 30 e 39 anos.

 

"Muitas pessoas já amanheceram na porta do hospital, esperando que a procura fosse grande. Muitos reclamaram da demora e quase desistiram de se vacinar", diz o enfermeiro Roberto Oliveira, do Centro Municipal de Saúde Oswaldo Cruz.

 

A dona de casa Maria de Fátima Souza, de 31 anos, conta que ficou 45 minutos na fila do Centro Municipal de Saúde Marcolino Candau. "É um absurdo essa demora. O hospital precisa colocar mais funcionários para vacinar a população."

 

Segundo dados fornecidos pela Secretaria Estadual de Saúde, apenas os grupos que abrangem crianças menores de 2 anos, portadores de doenças crônicas, trabalhadores da área de saúde e indígenas ultrapassaram a meta pré-estabelecida pelo governo federal. O objetivo inicial era que 71% da população do Rio de Janeiro fosse vacinada, ou seja, 7 milhões de pessoas. Entretanto, apenas 5,1 milhões de cidadãos participaram da campanha no Estado.

 

O superintendente de vigilância epidemiológica do Rio, Alexandre Chiepper, informou que a campanha será encerrada nesta quarta-feira em território nacional, mas, no Estado do Rio, a vacina continuará disponível nos postos até se esgotarem. "A campanha teve bom alcance nos grupos mais importantes, embora a meta não tenha sido atingida na faixa etária de 30 a 39 anos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.