Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Filha diz que idosa em Goiânia só recebeu vacina após denunciar que dose tinha ficado na seringa

Mulher diz ter percebido que imunizante havia ficado na seringa e pediu nova aplicação; Secretaria de Saúde diz que profissional foi afastada, afirma investigar caso, mas não vê erro intencional

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2021 | 17h21

Em Goiânia, a idosa Floramy de Oliveira Jordão, de 88 anos, se apresentou para a vacinação na quarta-feira, 10, e a enfermeira injetou a agulha no braço dela, mas não inoculou o imunizante. A cena foi registrada pela filha, Luciana Jordão, de 57 anos. “Eu estava filmando e percebi na hora que ela não tinha aplicado, pois a vacina estava toda na seringa. Questionei e ela admitiu que não tinha injetado. Disse que foi um erro e vacinou de novo”, contou. A prefeitura apura o caso e a profissional foi afastada. 

Segundo ela, a mãe ficou muito nervosa com o problema e com a repercussão do caso. “Ela foi picada pela agulha duas vezes, ao invés de uma.” A Secretaria Municipal de Saúde informou que a enfermeira foi afastada da campanha de vacinação contra a covid-19 e ainda responde a processo administrativo. 

Ainda segundo a pasta, os elementos já colhidos indicam que a profissional não agiu de má-fé. “Embora seja uma profissional experiente, tudo aponta para falha humana não intencional”, disse a administração municipal.

O caso levou a um reforço nos procedimentos de segurança. Supervisores passaram a acompanhar todo o processo e foi incentivada a presença de acompanhantes da pessoa idosa no momento da vacinação. “Como a vacinação está sendo feita em sete escolas, em locais amplos e arejados para evitar aglomeração, inclusive pelo sistema drive-thru, não é possível ter câmeras em todos os locais, mas os supervisores acompanham e registram tudo”, disse a pasta. 

Até esta quinta, haviam sido aplicadas 5.314 doses na capital goiana, incluindo idosos acamados. Idosos, profissionais de saúde e indígenas estão entre os grupos prioritários da campanha nacional de vacinação contra a covid-19. 

Boatos sobre falsas aplicações circulam na internet

Na internet, também circulam vídeos que sugerem o uso de seringas vazias na aplicação da vacina ou simulações do momento da imunização, mas se tratam de edições manipuladas  por grupos antivacina para disseminar desconfiança sobre os imunizantes. 

O Estadão Verifica mostrou que são falsas as alegações de que a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, aparece sendo imunizada sem agulha ou seringa. Também não são verdadeiras as mensagens que sugerem uma vacinação encenada da vice-presidente americana, Kamala Harris

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.