AP Photo/Rafiq Maqbool
AP Photo/Rafiq Maqbool

Fiocruz negocia compra de nova remessa de 2 milhões de doses da vacina de Oxford

Negociação está sendo feito com farmacêutica AstraZeneca e o Instituto Serum, da Índia; cientistas da fundação também trabalham na produção do imunizante no Rio de Janeiro

Caio Sartori, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2021 | 20h42

RIO - A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou nesta sexta-feira, 12, que está negociando a compra de 2 milhões de vacinas prontas contra a covid-19. Os cientistas da fundação também trabalham desde a semana passada para produzir aqui os imunizantes, com a chegada do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA). A aquisição de doses prontas seria uma forma de suprir a necessidade de mais vacinas no País neste momento.

A negociação está sendo feita com os laboratórios AstraZeneca, do Reino Unido, e Instituto Serum, da Índia. Segundo a Fiocruz, não há data exata para a chegada das doses. Em alguns locais, incluindo a capital do Rio, estima-se que possa faltar vacinas a partir da semana que vem, o que levaria a um atraso no calendário de vacinação. 

Na semana passada, a Fiocruz recebeu um lote com 88 litros de IFA (insumos para produção) vindos da China. Armazenado a -55º na sede da fundação, na zona norte do Rio, o líquido é suficiente para produzir 2,8 milhões de doses. As primeiras vacinas fabricadas com esse material devem ser entregues ao Ministério da Saúde entre 12 e 15 de março, segundo previsão dos cientistas.

Outros dois lotes de IFA devem chegar da China ainda em fevereiro, em data ainda não definida. Ao todo, a Fiocruz espera receber em fevereiro IFA suficiente para produzir 15 milhões de doses do imunizante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.