Rafiq Maqbool/AP
Rafiq Maqbool/AP

Fiocruz recebe banco de células e vírus para insumo de vacina contra a covid

IFA chega dos EUA um dia após assinatura de contrato de transferência de tecnologia, após meses de negociação 

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2021 | 15h41

RIO - A Fiocruz recebeu, nesta quarta-feira, 2, bancos de células e de vírus necessários  para produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) nacional necessário para a produção da vacina Covid-19 na Fiocruz. O material, vindo dos Estados Unidos, desembarcou no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão), às 8h03. Após desembaraço aduaneiro, seguiu para o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), onde o imunizante de Oxford/AstraZeneca será produzido.

O banco de células foi enviado em nitrogênio líquido, mantido a uma temperatura de aproximadamente -150ºC. O banco de vírus veio em gelo seco, a cerca de -80ºC. Os dois componentes compõem a base para a produção do IFA. O material, considerado o "coração" da tecnologia, chega no dia seguinte à assinatura do contrato de transferência de tecnologia, que ocorreu na tarde desta terça-feira (1/6).

“Foram meses de intensa negociação, discussão e troca de informações técnicas com a AstraZeneca”, afirmou Maurício Zuma, diretor de Biomanguinhos, onde o imunizante será produzido. “Esse é um momento muito importante para todos nós, para o Brasil. Estamos incorporando uma nova plataforma tecnológica que vai nos permitir no futuro desenvolver e produzir novas vacinas para novas doenças. É um grande passo para a nossa soberania nacional nessa área de produção de vacina.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.