Florença concede cidadania honorária a pai de Eluana Englaro

Decisão de conceder a cidadania a Giuseppe Englaro foi adotada por 22 votos a favor, 16 contra e 3 abstenções

Efe,

09 Março 2009 | 18h34

A Prefeitura de Florença concedeu hoje a cidadania honorária a Giuseppe Englaro, o pai de Eluana, a mulher cuja morte, em fevereiro, após 17 anos em coma vegetativo, causou polêmica na Itália e provocou um debate sobre morte assistida.   Veja também:  Pai de Eluana é investigado por homicídio voluntário  Você concorda com a decisão de deixar Eluana morrer? Perguntas e respostas: entenda o caso  Veja tudo que foi publicado sobre o caso    O site do consistório florentino informa que a maioria votou a favor da concessão da cidadania a Giuseppe Englaro, mas a decisão não foi unanimidade.   O político Mario Razzanelli, representante da lista Firenze c'è, afirmou que, se fosse Englaro, não se sentiria "à vontade em Florença" sabendo que "a metade da cidade ou quase" não concorda com a concessão da cidadania.   A decisão foi adotada por 22 votos a favor, 16 contra e 3 abstenções.   O prefeito da cidade, Leonardo Domenici, propôs "encontrar outra modalidade para expressar a solidariedade para com Englaro", mas o debate político na Prefeitura originou a votação favorável à concessão da cidadania ao pai de Eluana.   A italiana morreu em uma clínica de Udine, no norte da Itália, após ser aplicada uma sentença do Supremo Tribunal italiano que permitia a interrupção da alimentação e da hidratação da paciente, como a família queria.   O Governo de Silvio Berlusconi tentou aprovar iniciativas legais para impedir a morte.

Mais conteúdo sobre:
Eluana Englaro eutanásia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.