Felipe Dana/AP Photo
Felipe Dana/AP Photo

Flórida confirma quatro primeiros casos autóctones de zika nos EUA

Até agora, todas as ocorrências no país norte-americano eram de pessoas que haviam viajado ao exterior ou sido contagiadas por fluidos corporais

O Estado de S.Paulo

29 Julho 2016 | 13h57

A transmissão local do vírus zika foi registrada pela primeira vez nos Estados Unidos, com quatro casos confirmados na Flórida. A informação é do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) do país. 

A Flórida já havia registrado 383 casos de zika entre pessoas que viajaram para fora do território americano. Desse total, 55 envolvem mulheres grávidas. Segundo o CDC, até quinta-feira, 28, haviam sido relatados 1.658 casos de zika nos Estados Unidos. Também houve casos adquiridos por relação sexual.

Os quatro novos casos, diz o órgão, “são provavelmente a primeira ocorrência conhecida de transmissão local do zika, por mosquito, na área continental dos Estados Unidos. Todas as evidências que observamos indicam que essas transmissões por mosquito ocorreram há algumas semanas em diversas áreas de Miami”, afirmou Tom Frieden, diretor do CDC. Foram três homens e uma mulher.

“Continuamos recomendando que todos em áreas com a presença do Aedes aegypti – especialmente as mulheres grávidas – tomem medidas para evitar picadas do inseto”, disse Frieden.

Apesar dos quatro registros, o governo da Flórida não encontrou o vírus em mosquitos que circulam na região. Cerca de 19 mil deles foram analisados em laboratório estatal. 

Segundo Frieden, pode haver outros bolsões ocasionais de transmissão locais no país, mas é improvável que ocorra uma epidemia de larga escala. Outros Estados do sul americano, como o Texas, também deverão ter registro da doença, acreditam especialistas locais.

O CDC não aconselha deixar de viajar à Flórida, mas o órgão pode reavaliar essa recomendação caso apareçam sinais de um alastramento rápido do vírus. 

Precaução. O órgão de vigilância sanitária americano, Food and Drug Administration (FDA), já ordenou que os bancos de sangue suspendam as coletas em dois distritos densamente povoados da Flórida – Miami-Dade County e Broward County. Isso valerá até que eles se capacitem para testar cada unidade de sangue ou que incorporem técnicas capazes de eliminar o vírus./ AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Mais conteúdo sobre:
Flórida Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.