EFE / Antonio Lacerda
EFE / Antonio Lacerda

Formulário tenta medir subnotificação de covid-19 no Estado do Rio

Conforme a população preencher o formulário, criado pela Comissão RJ Ciência no Combate à Covid-19, será possível produzir dados, com atualização em tempo real

Fábio Grellet, RIO

08 de maio de 2020 | 20h30

O governo do Estado do Rio de Janeiro lançou um formulário eletrônico para tentar avaliar o grau de subnotificação de casos de covid-19 no Estado. Conforme a população preencher o formulário, criado pela Comissão RJ Ciência no Combate à Covid-19, será possível produzir dados, com atualização em tempo real, a serem usados pelas secretarias estaduais no combate à pandemia.

O formulário (que pode ser acessado pelo link) inclui perguntas sobre sintomas da covid-19, a data de início do mal estar e a saúde de familiares e conhecidos, além da identificação da pessoa que está respondendo. O questionário é a primeira ação da Comissão RJ Ciência no Combate à Covid-19, instalada pela secretaria estadual de Ciência e Tecnologia, e poderá ser usado também por outros Estados, bastando adaptar o questionário, que é público.

“Os dados vão compor um mapa inédito de casos de infectados geoposicionados por CEP, em todo o Estado. As secretarias e outros órgãos estaduais deverão replicar o questionário para alcançar divulgação ampla, multiplicando a adesão da sociedade”, disse o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Rodrigues.

Responsável por coordenar as atividades, a subsecretária de Ensino Superior, Pesquisa e Inovação, Maria Isabel de Castro Souza, afirmou que o paralelo entre o percentual de casos notificados e subnotificados permitirá às autoridades de saúde e de gestão aperfeiçoar as ações preventivas contra o coronavírus. “A vanguarda do combate global mostrou que a informação é a melhor arma do gestor público contra o vírus”, afirmou.

Para o presidente da Comissão, Jerson Lima, da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj), a maior vantagem da ferramenta é a agilidade na resposta.

“Ela é importante para identificar o universo de subnotificação da Covid-19, de uma maneira simples, fácil de responder”, afirmou o professor, lembrando que o questionário foi criado a partir da contribuição do professor Luiz Otávio de Azevedo, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Além da secretaria, da Faperj e da Fiocruz, participarão do levantamento a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

“A principal contribuição da ferramenta será conhecer o espectro de acometimento da doença na população, comparando a possível subnotificação com os registros existentes”, afirmou o professor da UFRJ Roberto Medronho.

A pesquisadora Karla Figueiredo, da Uerj, outra integrante do projeto, explicou que a ferramenta pode ampliar o que se sabe sobre a expansão da doença no Estado. “De qualquer lugar, em menos de dois minutos, você poderá não apenas reduzir a subnotificação da covid-19, mas também aumentar o conhecimento sobre a sua distribuição geográfica”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.