Hwaja Goetz/Divulgação
Hwaja Goetz/Divulgação

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Fóssil encontrado no Brasil revela 100 milhões de anos de estagnação evolutiva

Ancestral de inseto que hoje habita regiões da Ásia e África foi descoberto em área de calcário no Nordeste

estadão.com.br,

03 de fevereiro de 2011 | 18h20

SÃO PAULO - Pesquisadores descobriram um ancestral de 100 milhões de anos de um grupo de insetos carnívoros, semelhantes a grilos, que vivem hoje no sul da Ásia, na região da Indochina e no Norte da África. A nova descoberta, feita em uma região com ocorrência de fósseis de calcário no Nordeste do Brasil, corrige a classificação errada de um outro fóssil deste tipo e revela que o gênero sofreu pouca mudança evolucionária desde o Período Cretáceo, época dos dinossauros, pouco antes da dissolução do supercontinente Gondwana.

 

Embora o fóssil seja diferente dos grilos de hoje em dia, a maior parte de suas características permanece igual, o que revela que o gênero pode ter passado por um período de estagnação evolutiva de cerca de 100 milhões de anos.

 

O resultado completo da descoberta pode ser lido aqui, em inglês.

Tudo o que sabemos sobre:
fóssilBrasilinseto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.