França avalia risco de prótese à saúde

Governo estuda pedir aos médicos que alertem suas pacientes para retirada dos implantes

AP,

21 de dezembro de 2011 | 09h47

 Autoridades de saúde francesas consideram recomendar aos médicos para que sugiram às cerca de 30 mil pacientes que receberam as próteses PIP a retirada de seus implantes.

Oficiais do Ministério da Saúde devem se reunir na próxima sexta-feira, 23, para decidir as recomendações às mulheres que receberam próteses dessa marca.

Alguns médicos dizem que os implantes sofrem risco de ruptura. Um instituto francês também estuda se há relação entre essas próteses e oito casos de câncer em mulheres que desenvolveram a doença após a cirurgia.

Cerca de 40 mil britânicas também devem ter recebido essas próteses. A agência regulatória britânica disse que seus testes não acusaram evidências de toxicidade nem sugerem a remoção das próteses.

Tudo o que sabemos sobre:
prótesesPIPsiliconecâncerFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.