Fumantes querem que empresa pague exames de pulmão

Um grupo de fumantes de cigarros da marca Marlboro abriu processo contra a Philip Morris nos Estados Unidos, pedindo que a gigante do tabaco pague para eles um exame anual, de alta tecnologia, que poderia detectar câncer de pulmão ainda nos estágios iniciais. Como outros processos contra a indústria do tabaco, a queixa apresentada por quatro fumantes perante um tribunal federal alega que todos foram vítimas do marketing enganoso de um produto que acusa a morte. Eles pedem que a ação seja considerada coletiva e beneficie todas as pessoas com idade acima de 50 anos e que tenha fumado o equivalente a um maço por dia ao longo de 20 anos. Os queixosos exigem tomografias computadorizadas de raios-X em espiral dos pulmões, às custas da empresa. A ação alega que o exame - que nos EUA pode custar até US$ 500 (R$ 1.150) e não é coberta pelos planos de saúde comuns - poderia salvar milhares de vidas, ao detectar o câncer ainda nos estágios iniciais. As empresas de tabaco já venceram duas ações semelhantes, em 2001 e 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.