Vanderlei Faria/Divulgação
Vanderlei Faria/Divulgação

Funcionário da ONU morre por Ebola

Vítima estava trabalhando na Libéria quando contraiu o vírus; ele foi enviado para um hospital de Leipzig, na Alemanha, mas não resistiu

Jamil Chade, Correspondente de O Estado de S. Paulo

14 Outubro 2014 | 06h40

GENEBRA - O Ebola faz sua primeira vítima entre os funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU) que estavam na África para tentar frear a doença. A morte do enviado foi confirmada nesta terça-feira, 14, por um hospital da Alemanha, para onde a vítima foi enviada para um tratamento. 

Com mais de 4 mil mortes na África, o vírus do Ebola continua fora de controle, enquanto as entidades internacionais tentam implementar medidas para conter o surto. 

A mais recente vítima estava trabalhando na Libéria quando contraiu o vírus e foi enviada para um hospital de Leipzig, na Alemanha. Com 56 anos, ela chegou ao continente europeu na última quinta-feira, 9, e foi colocada em uma ala isolada do hospital alemão. 

Mas não sobreviveu. "Apesar de medidas intensas e o máximo esforço da equipe médica, o empregado da ONU sucumbiu à doença", declarou o Hospital St. Georg. O paciente, que não teve seu nome revelado, era sudanês. Três vítimas do Ebola foram enviados até agora para a Alemanha. 

Tanto a ONU quanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertam que estão preocupados diante do número de profissionais de saúde que estão morrendo por causa do Ebola. Além de 90 casos de médicos e enfermeiras em hospitais, a contaminação de profissionais nos Estados Unidos e na Espanha revelaram aos especialistas a dificuldade em tratar os pacientes. 

Mais conteúdo sobre:
Ebola ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.