Funcionários do setor farmacêutico terão remédios mais baratos

As indústrias farmacêuticas no Estado de São Paulo prometem pagar uma parte do valor dos medicamentos usados por seus funcionários e dependentes. O subsídio das empresas chega a 80%, mas há casos em que o remédio pode até sair de graça se for fabricado pelo próprio laboratório. O acordo que garante esse benefício foi assinado anteontem entre o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos do Estado de São Paulo (Sindusfarma) e a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado (Fequimfar). Segundo Lauro Moretto, vice-presidente executivo do Sindusfarma, há três faixas de subsídios. As empresas pagarão 80% do valor do medicamento para os trabalhadores com salários até R$ 1 mil. Os funcionários com vencimentos acima de R$ 1 mil e até R$ 1,8 mil receberão 50% do valor . Para quem ganha acima de R$ 1,8 mil, o desconto é de 30%. O limite mensal de subsídios não poderá ultrapassar 30% do salário. O acordo vale para as empresas associadas ao Sindusfarma e deve entrar em vigor em 120 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.