Fundação de Bill Gates ajuda OMS a criar remédios pediátricos

A maioria dos remédios é concebida para adultos e os comprimidos são divididos para a ingestão infantil

Efe,

21 de janeiro de 2009 | 17h12

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta quarta-feira, 21, que recebeu uma subvenção de US$ 9,7 milhões da Fundação Bill e Melinda Gates para pesquisas buscando a criação de remédios pediátricos. Segundo a agência da ONU, a maioria dos remédios é concebida para adultos, e muitos dos que se prescrevem para menores não têm a inocuidade suficiente para serem usados em crianças. De fato, a OMS considera que é uma prática popular em todo o mundo desfazer ou dividir as pastilhas quando são administradas aos menores. Segundo Carissa Etienne, subdiretora geral da OMS, "as crianças sofrem doenças que poderíamos tratar e, no entanto, não temos remédios adaptados e eficazes que os poderiam salvar", acrescentou. No mundo morrem, a cada hora, mil crianças de menos de cinco anos, segundo a organização, sendo diarreia e pneumonias são responsáveis cada uma por 17% destas mortes. No caso da diarreia, o tratamento ideal consiste em administrar zinco e sais minerais para conseguir a hidratação, mas, no entanto, um estudo recente mostra que o zinco é o elemento menos disponível nos remédios pediátricos.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdeOMS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.