Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Fuvest realiza neste domingo provas da primeira fase do vestibular

Candidatos devem portar máscara o tempo todo; fundação ampliou o número de salas com objetivo de reduzir a ocupação e o risco de transmissão do novo coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2021 | 05h00
Atualizado 10 de janeiro de 2021 | 14h13

A Fuvest realiza neste domingo, 10, a prova da primeira fase do processo seletivo para preenchimento de vagas em cursos de graduação da Universidade de São Paulo (USP). Ao todo, 130 mil candidatos devem comparecer aos 148 locais de provas em 35 cidades. A quantidade de unidades para realização dos exames aumentou - eram 88 na última edição do vestibular - como parte do protocolo de biossegurança em um momento de pandemia do novo coronavírus. Na região da Grande São Paulo, onde se encontra a maior concentração de candidatos, há 70 locais de prova, seguida de Ribeirão Preto, com 15, e Campinas, com 12. 

Os portões foram abertos ao meio-dia, meia hora mais cedo do que na edição anterior, para evitar aglomerações. A prova começa a ser aplicada às 13h, com saída autorizada a partir das 16h. A fundação informou que cada sala deverá ser ocupada em até 40% da sua capacidade. Além disso, haverá álcool em gel em todas as dependências e os candidatos deverão portar máscaras o tempo todo. A distância mínima entre candidatos deve ser de 1,5 metro.

Embora a Fuvest esteja comprometida em cumprir as normas sanitárias em meio à pandemia, a obrigatoriedade de fazer uma prova presencial neste momento preocupa. A poucos dias do vestibular, estudantes tiveram um tema a mais para estudar: como se proteger da infecção pelo coronavírus na hora do exame. Muitos planejam isolamento, escolhem máscaras e até eliminam outros vestibulares para evitar o risco de levar o vírus para casa, onde muitos compartilham a rotina com idosos ou pessoas de grupos de risco.

Em entrevista ao Estadão, a diretora-executiva da Fuvest, Belmira Bueno, reforçou a orientação de que estudantes com sintomas da covid-19 não devem comparecer ao local de prova. Belmira, no entanto, reconheceu o risco de que candidatos com sintomas façam a prova, contrariando as recomendações. “Essa possibilidade sempre esteve presente, não há como obrigar as pessoas a declararem (a doença).”

Em um momento em que o mundo sofre os efeitos da pandemia do coronavírus, temas como acesso à saúde e vacinação podem ser abordados nos vestibulares. Também é possível que as provas apostem em questões ligadas às revoluções aceleradas pela crise sanitária e outros pontos como mudanças climáticas, saneamento básico e saúde mental. O Estadão selecionou 20 reportagens que tratam desses e de outros assuntos

A Fuvest deverá divulgar em 1º de fevereiro os convocados para a segunda fase do processo seletivo, data em que também divulgará os locais de prova para essa etapa. Os exames devem ser realizados em 21 e 22 de fevereiro, com resultado previsto para 19 de março. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.