BBC/Reprodução
BBC/Reprodução

Gases de dinossauros aqueceram o planeta há 150 milhões de anos

Estudo calcula emissões de metano de saurópodes com base na produção de gás de animais atuais

BBC

07 de maio de 2012 | 08h39

A temperatura da Terra pode ter se elevado significativamente na era jurássica devido aos gases emitidos pelos dinossauros, aponta um estudo britânico. Os autores calcularam a geração de metano de saurópodes, compararam à dos níveis produzidos pelos bovinos atuais e afirmaram que, com base na população dos répteis que habitavam o planeta há 150 milhões de anos, eram emitidos na atmosfera 520 milhões de gás anualmente.

 

Os saurópodes eram répteis gigantescos que se alimentavam da vegetação terrestre durante a era Mesozoica. O exemplo mais famoso dessa família é o Brontossauro, aquele dinossauro com o pescoço longo.

 

David Wilkinson, da Universidade John Moore, de Liverpool, e seus colegas das Universidades de Londres e Glasgow publicaram sua pesquisa no jornal Current Biology. De acordo com ele, os responsáveis pela emissão de metano na atmosfera não eram os dinossauros propriamente, mas os microrganismos que viviam dentro deles.

 

"A ecologia dos micróbios e seu papel nas mudanças do planeta são um dos meus interesses na ciência. Embora o elemento do dinossauro atraia a atenção popular para este trabalho, é sobre os micróbios que recai a responsabilidade de produzir todo o gás emitido", afirma. O gás metano é um dos que contribuiu para o efeito estufa.

 

Estudos anteriores apontam que a Terra era até 10°C mais quente que hoje na era Mesozoica. Com o conhecimento atual sobre as emissões de gás de animais como os bovinos, que afetam o aquecimento global, os cientistas calcularam como os saurópodes influenciavam no clima há milhões de anos.

 

O cálculo considera a população total de dinossauros estimada e usa uma escala que relaciona biomassa e produção de metano no gado. "As vacas produzem cerca de 50 a 100 milhões de toneladas de metano por ano. Nossa melhor estimativa para s saurópodes é de cerca de 520 milhões de toneladas", afirma Wilkinson.

 

O total de emissões atuais de metano soma 500 milhões ao ano, mas é proveniente de uma série de fontes, como animais selvagens e atividade humana. Wilkinson se disse surpreso com o nível de produção de gás dos répteis, mas lembra que não só os dinossauros eram responsáveis. "Havia outras fontes de emissão de gás na era Mesozoica, então os níveis deviam ser muito maiores do que hoje", conclui.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.