Gel microbicida anti-Aids é reprovado em testes na África

Produto foi testado em mais de 9.000 mulheres em quatro países africanos e não inibiu contaminação

KATE KELLAND, REUTERS

14 Dezembro 2009 | 11h18

Um gel criado pelo laboratório norte-americano Endo para evitar a contaminação pela Aids foi reprovado em testes na África, disse o Conselho de Pesquisa Médica (MRC) da Grã-Bretanha na segunda-feira.

 

Veja também:

linkTemporão quer taxar voos para financiar combate à aids

linkBrasil ajudará Moçambique a produzir genéricos contra aids

linkSoropositivos no Brasil sofrem com problemas psicológicos 

O microbicida vaginal Pro 2000 foi testado em mais de 9.000 mulheres em quatro países africanos, sem evidências de que reduza a contaminação pelo vírus causador da Aids, HIV.

O resultado é um novo revés para o laboratório, cujas ações já tinham caído neste mês por causa da recusa das autoridades dos EUA em aprovar o medicamento Aveed, contra déficit de testosterona.

Até agora, não há nenhum gel microbicida que funcione contra a contaminação pelo HIV, e este teste "mostrou conclusivamente que o gel Pro 2000 não tinha benefício agregado", disse o MRC em nota.

"Este resultado é desanimador, particularmente à luz dos resultados de um teste menor patrocinado pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA, que sugeria que o Pro 2000 poderia reduzir em 30 por cento o risco de infecção pelo HIV", disse Sheena McCormack, do MRC, responsável pelo estudo.

Pesquisas apresentadas em fevereiro numa conferência sobre Aids no Canadá sugeriam que o gel Pro 2000, adquirido neste ano pelo laboratório Endo na compra do Indevus Pharmaceuticals, poderia reduzir em um terço o índice de contaminação.

O estudo do MRC foi o maior teste clínico internacional já feito sobre um gel para a prevenção do HIV.

Quase 60 milhões de pessoas já foram contaminadas com o vírus, e 25 milhões morreram de Aids desde o início da década de 1980.

O teste do MRC, realizado entre setembro de 2005 e setembro de 2009, abrangeu 9.385 mulheres e foi realizado pelo Programa de Desenvolvimento de Microbicidas, parceria não-lucrativa entre 16 instituições africanas e europeias de pesquisas.

Os pesquisadores disseram que não houve diferenças significativas na taxa de contaminação entre as mulheres que usaram o gel Pro 2000 e as que usaram um gel placebo.

Mais conteúdo sobre:
AIDS AFRICA MICROBICIDA FALHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.