Gêmeas siamesas recebem alta após serem separadas em MG

Ana Clara e Ana Flávia, que passaram sete meses no hospital, nasceram unidas pelo abdome e dividiam fígado

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2008 | 19h40

Duas gêmeas siamesas, que nasceram unidas pelo abdome e foram separadas com sucesso no último dia 10, na Santa Casa de Belo Horizonte, receberam alta nesta quinta-feira, 29, do hospital. Após quase sete meses de internação na ala pediátrica do hospital, Ana Clara e Ana Flávia puderam retornar no final da manhã com os pais para casa, no sul de Minas Gerais.  Nascidas em setembro do ano passado, as gêmeas xifópagas compartilhavam o fígado. Elas ficaram um longo período em observação e precisaram ganhar peso para a intervenção cirúrgica. As meninas nasceram de parto prematuro e pesavam juntas apenas 2,250 quilos. A operação de separação durou cerca de duas horas e meia e foi considerada relativamente simples pela equipe médica.  "Não havia união óssea e nem órgãos comuns internos, a não ser o fígado, é claro. Dos casos que nós operamos esse pode ser considerado entre os três mais fáceis", disse o médico Manoel Firmato.  As gêmeas receberam alta do hospital seis dias depois de serem liberadas do CTI Infantil. "Foi um período de muita ansiedade, pelos momentos de espera, mas valeu cada minuto que eu fiquei aqui", contou a mãe das meninas, a dona de casa Francilene Aparecida Juventina.  "Graças a Deus deu tudo certo, vai ser a viagem mais feliz da minha vida", completou o pai, o metalúrgico Flávio Caovilla.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.