Gene defeituoso pode explicar morte súbita de epiléticos

Mutação que causa arritmia cardíaca também provoca surtos no cérebro, descobre grupo americano

Reuters,

14 de outubro de 2009 | 18h04

Um gene que pode causar arritmia cardíaca também é capaz de desencadear ataques epiléticos no cérebro e pode ser a explicação da morte súbita e inexplicada que às vezes atinge os epiléticos, disseram pesquisadores americanos nesta quarta-feira, 14.

 

Terapia genética ajuda macacos com mal de Parkinson

 

Testar epiléticos para a presença do gene pode dar aos médicos a informação necessária para evitar algumas dessas mortes, disse Jeffrey Noebels, da Escola Baylor de Medicina, cujo estudo aparece na revista Science Translational Medicine.

 

Médicos sabem há tempos que pacientes com uma mutação no gene  KvLQT1  - que produz as estruturas chamadas canais de íons, que regulam a atividade elétrica do coração - têm um risco maior de morrer por causa de ritmos cardíacos anormais.

 

O mesmo gene produz canais de íons no cérebro, descobriu a equipe de Noebels.

 

"Nós o chamamos de elo perdido", disse o pesquisador. Ele acredita que, no cérebro, a mutação desencadeia o surto epilético, e pode também causar o distúrbio cardíaco, que mata o paciente.

 

Nos pacientes epiléticos, grupos de neurônios enviam sinais desconexos, causando os ataques. Portadores de epilepsia têm 23 vezes mais chance de sofrer morte súbita que a população em geral, mas até agora os médicos não faziam ideia da causa, afirmou Noebels.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.