Genéricos fecham trimestre com crescimento de 40,9%

A indústria de medicamentos genéricos fechou o primeiro trimestre deste ano com US$ 301,3 milhões acumulado em vendas. O dado é animador para o setor, pois corresponde a um crescimento de 40,9% sobre o mesmo período de 2006, quando, naquele ano, os três primeiros meses foram encerrados com US$ 213,7 milhões. Os dados são do IMS Health, instituto que audita o mercado farmacêutico no Brasil e no mundo. Segundo o instituto, de janeiro a março de 2007, foram comercializados 51,4 milhões de unidades de genéricos no mercado brasileiro, frente 41,7 milhões na mesma base comparativa do ano passado. O avanço sobre 2006 equivale a um incremento de 23,4%. O share dos genéricos em unidades encerrou o trimestre em 14,6%, 2,3 pontos porcentuais acima dos 12,3% verificados nos três primeiros meses de 2006. Em valores, também se detectou aumento na participação dos genéricos - de janeiro a março do ano passado, o share era de 9,6% e este ano, no mesmo período, saltou para 11,7%. Na avaliação do vice-presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos, Odnir Finotti, os genéricos devem repetir o bom desempenho de 2006 neste ano. "O setor nunca vivenciou um cenário tão favorável no país", afirmou, em comunicado. O mercado farmacêutico, segundo o IMS Health, também apresentou crescimento no primeiro trimestre do ano. O conjunto da indústria registrou vendas de 353,9 milhões de unidades entre janeiro e março de 2007 contra 339,1 milhões em igual período de 2006, com alta de 4,3%. Pelo critério valor houve avanço de 15,2% no período. As vendas totais foram de US$ 2,573 bilhões no primeiro trimestre de 2007, contra US$ 2,233 bilhões registrados no mesmo período de 2006.

Agencia Estado,

19 de abril de 2007 | 18h00

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.